terça-feira, 30 de novembro de 2010

Terroristas religiosos

Antes, um breve testemunho:

Quando eu assumi que sou gay há 2 anos, a minha melhor amiga até então, a quem conhecia há mais de 5 anos e tinha como uma irmã me disse: "Jock, eu conheço pessoas na minha Igreja que podem te ajudar. Lá tem muita gente que ficou curada!". A amizade segue até hoje, mas ela não é mais a minha melhor amiga.

Esse texto rondava minha cabeça desde que o blog ficou colorido, mas nunca me pus a escrevê-lo por que não me achava (e continuo) apto a discutir o tema e segundo por que não sabia o tom que gostaria de dar a ele, mas os últimos acontecimentos o moldaram antes mesmo que ele ganhasse o Word. Eu queria falar de religião, mas não conheço o suficiente para tal, então decidi falar sobre religiosidade.

Eu fui um menino católico relativamente atencioso. Fui batizado antes do meu primeiro aniversário. Aos 10 anos já tinha feito a 1ª Eucaristia e aos 15 estava fazendo a Crisma. Com o tempo acabei me afastando da Igreja e hoje transito entre o ateísmo e o agnosticismo e nas horas de tormenta, seja por uma fé recolhida, seja pela força da tradição, recorro a Deus.

Uma das primeiras lições que aprendi no meu período de moço católico é que Deus fez seus filhos segundo sua imagem e semelhança, mas a mim ele fez gay. Não ele não seria desatento justo no meu caso até por que ser gay é pecado, está na Bíblia, então ele não me fez gay, mas me deu o livre arbítrio e eu escolhi ser gay. Pelo menos é isso que milhares dos seus fiéis (per)seguidores usam como justificativa para me achincalhar todos os dias. Então se eu tenho o livre arbítrio por que continuo gay? Por que insisto em querer ser humilhado, ridicularizado, agredido, segregado se basta a mim escolher o caminho certo?

E se Deus de fato fez as pessoas como sua imagem e semelhança, os meus fiéis perseguidores me fazem crer que Deus é na verdade uma figura absurdamente desagradável. Por que as imagens e semelhanças suas que vejo nas ruas são ciumentas, orgulhosas, controladoras, mesquinhas, injustas, intransigentes, genocidas étnicos e sociais, vingativas, sedentas de sangue, perseguidoras implacáveis, misóginas, homofóbicas, racistas, filicidas, megalomaníacas, sadomasoquistas, malévolas, cruéis, vingativas, caprichosas. Por que é essa a imagem de Deus que me vendem, todos os dias, os milhares de terroristas religiosos que tentam relegar os gays ao limbo.

O Deus que eu conheci nas tardes de catequese era de amor, tanto que o Filho, feito a imagem e semelhança do Pai disse amai-vos uns aos outros como eu vos amei. Então por que eu só conheço o ódio irracional que vem desses fiéis? E foi o mesmo que disse não julgueis para não sede julgado. Sendo assim, por que tenho que ouvir todos os dias que irei para o inferno ou que sou um doente e que represento risco para seus filhos?

Não foi Ele quem ensinou e pregou a abnegação, a humildade, a fraternidade, a prezar pela justiça acima de tudo, a respeitar o semelhante, a exercitar a tolerância, a solidariedade? No entanto o que percebo é o preconceito, a intolerância, a tirania daqueles que se convenceram que preciso de ajuda para sair do pecado e tentam me forçar a freqüentar igrejas para alcançar a graça da cura. O fato é que muitas pessoas se dizem seguidores de Jesus sem dar os primeiros passos de obediência à palavra Dele.

Esse terrorismo religioso que sofremos, e nem estou entrando no mérito das igrejas em si, mas dos seus fies, é justificado pela fé que seria um estado de verdade absoluta e incontestável, mas esse tipo de verdade é, na verdade, fundamentalismo, pois a fé também é racional e eu não percebo racionalidade nos que me ojerizam, só vejo fanatismo.

Fé sem razão não é fé, é fideísmo.

Leia AQUI a inspiração para esse texto. Um relato visceral do @Guhalves.

Leia AQUI um texto maravilhoso sobre o tema da @Lilahleitora que possui o know-hall que eu não possuo para discutir o assunto.

9 comentários:

Viviane Junqueira Ayres disse...

Excelente post Jock...

Vc está corretíssimo na sua argumentação.

Inclusive, para o próximo século, eu diria que o mundo só se tornará melhor quando aprendermos a AMAR O OUTRO, MAIS DO QUE A SI MESMO!

E não digo isso falando de falta de auto-estima, digo isso querendo exemplificar que quando aprendermos a verdadeiramente respeitar o outro, quando aprendermos que cuidar do próximo nos ajudará muito mais a cuidar de nós mesmos, este mundo será um mundo melhor pra se viver e povoado por pessoas felizes!!

Beijoss amigo!

Maíra. disse...

Olá querido, quase por acidente passei aqui (estava pesquisando para a reforma na minha nova casa!) e li seu texto. Quero me apresentar apenas como alguém que já levantou aguerridamente algumas bandeiras, teve muitas certezas e foi criada em um universo de arte e liberalidades (família de artistas e jornalistas), mas que um dia entregou todas as suas certezas e incertezas na mão da pessoa mais espetacular, linda, sábia e amorosa que você já conheceu.
Compreendo as suas palavras e chego a concordar que é impossível enxergar Deus no comportamento de muitos dos que se dizem seus porta-vozes. Mas preciso te falar algo verdadeiro que vivo há algum tempo. Descobri o meu maior tesouro quando passei por uma série de experiências que me levaram a conhecer Jesus, por favor entenda o que digo, O conheci verdadeiramente, como se conhece alguém a quem se é apresentado e com quem se passa a ter um relacionamento. Sei que parece discurso religioso, mas não falo de religião, falo de Jesus somente (somente?); e não há outro modo de expressar: conheço Jesus. Passei a compartilhar da sua linda e maravilhosa companhia. Entenda, não falo de pastor, igreja e tal, falo do lindo Jesus, o Deus de amor de quem você ouviu falar quando era pequeno. Ele está vivo!!! Muito mais do que eu e você! Ok, parece loucura, eu sei, mas as coisas de Deus são loucas pra esse mundo, só posso dizer que é real e não é esquizofrenia, rsrsrs. Lamento muito que em nome de Jesus muitas maldades sejam feitas e tantas pessoas sejam feridas naquilo que mais as toca, o desejo quase que independente do seu corpo e coração. Mas acredite querido, Jesus não se entregou à cruscificação para ver tanto ódio sendo disseminado, Ele se entregou por amor, para que o amor seja pregado em toda a Terra.

Há muitas coisas que gostaria de te falar, mas sei que já me prolonguei demais. Quero só te passar que Jesus tem me enchido com tanto amor, tanto amor, que não posso suportar com o meu pequeno coração e preciso compartilhar esse amor com outras pessoas, falar a elas que há um lugar (que não é físico) onde nada nos atinge, nada dói, tudo suporta e em tudo se alegra, onde há uma paz sem igual na Terra. Estou neste lugar neste exato momento. Lembre-se: Jesus é o caminho para esse lugar. Através Dele podemos compreender todas as coisas, Ele nos mostra e nos ensina tudo, então somos transformados sim, mas não para agradar ao homem hipócrita e religioso, mas para agradar a Deus, poque Deus nos criou para viver em comunhão conosco, no entanto a maioria das pessoas não tem um relacionamento com Deus porque não conseguem compreendê-lo. Por isso precisamos de Jesus, através Dele chegamos e nos achegamos a Deus. Quando isso ocorre recebemos uma visão sobrenatural que nos faz enxergar espiritualmente (algo inenarravel), como vivemos em um mundo carnal, passamos a parecer "estranhos" aos olhos dos que estão em volta, passamos a ser incompreendidos mesmos. Chego a me sentir como uma daquelas heroinas com superpoderes, rsrs...

Não esqueça que a morte de Jesus na Cruz rasgou o véu e nos fez o templo do Espírito Santo de Deus (que ressuscitou Jesus), que passa a viver em nós quando chamamos por Ele. Nossos corpo, mente e coração passam a ser direcionados pelo mesmo Espírito que guiou Jesus na Terra, então passamos a ser como Ele, filhos de Deus e não mais criaturas de Deus.

A Igreja é você!

Com muito amor,
Maíra - redacao2.2@gmail.com

Bonter disse...

Eu acredito que tenha tido uma formação religiosa bem parecida que a sua, tirando o fato que consegui, com dificuldade, fugir da crisma, rs. Juntei pedaços de religiões e procurei um meio-termo pra entender Deus, embora muitas vezes venha um ateísmo me lembrar que o mundo é cruel de mais pra ter sido criado por uma Ser cheio de qualidades e infinito amor.
Maior problema, dos "religiosos", é acreditar que são o único caminho, não era "os últimos serão os primeiros" e "a casa do meu Pai tem várias moradas"? Falta humildade...
O fanatismo é sempre a base para o controle das pessoas, seja ele qual for.

Anderson disse...

Eu particurlamente concordo que a Bíblia foi escrita pelos homens para que "naqueles tempos" se propagassem suas leis baseadas na religiosidade (?), já que a igreja era de certa forma a detentora do poder e controle do estado.
A quem interessar possa, há um filme produzido em 2009 que trata sobre este assunto. Uma mãe, religiosa ao extremo, tenta curar seu filho da sua homossexualidade se baseando nas passagens bíblicas que condenam tal fato. Seu filho, aos 20 anos (em 1983), se suicida jogando-se de uma ponte em meio a uma rodovia interestadual.
Foi baseado numa história verídica publicada em livro em 1995 nos EUA.
Hoje, esta mãe é uma ativista na defesa dos direitos LGBT.
Link do trailler You Tube: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=doe37uAbA8A&gl=BR
Você pode fazer o download do filme também (com legendas em Português) aqui: http://www.megaupload.com/?d=049BG4GW

...Família Colorida... disse...

Olá, conheci seu blog através do blog "Mãe, sou Gay" e achei muito bom seu post, me identifiquei muito pois também fui criada numa família católica, fui batizada, fiz primeira comunhão, fiz crisma, porém acabei me afastando da igreja pelos mesmos motivos, pois não vejo em seus seguidores nada de bom, só coisas ruins! Aquele Deus que eles pregam definitivamente não é o meu Deus! O meu Deus é bom e não tem preconceitos e nem ódio pelos seus filhos! Atualmente sou espírita e seguidora do budismo, me identifiquei muito mais e sou feliz com isso!

Vou linkar você no meu blog, passa lá qualquer hora!

Beijos!

Francisco Saldanha disse...

Oi ...fazia um tempo que não postava comentário no seu blog..desculpa correrias da vida.Sobre o post o que penso sobre isso é que o nosso estado pelo que parece está cada vez mais ligado a religiosidade doentia..agora as igrejas se envolvem em todo e qualquer assunto com o respaudo de um livro que eles consideram sagrado...

abraço.

www.letraslitteratura.blogspot.com

Pimenta disse...

Nem fala, eu nem vou ter natal aqui em casa, conversei com as crianças,(que são totalmente atéias, não acreditam mesmo)e perguntei se elas são cristãs, se acreditam no Cristo.
A resposta foi óbvia, mas eles pediram por favor, para ao menos manter os presentes,já que o santa Claus não tem nada a ver com isso, rsrsrsr.
Eu ando com vergonha dos Cristãos.Mesmo.Imagina Deus então.
bjo

GAUCHA TRI LEGAL! disse...

Hi Jock Dean, acho que a biblia e coisa do seculo retrasado e deveria de ser atualizada. O povo fica obsecado com o que escrevero la e entao, ficam segos. Abracos. sou simpatizante e respeito meu amigo de igual para igual sem preconceito.

Stro - Strovenga disse...

Muito bom esse texto. Me identifiquei nele meu amigo.

Como você, fui batizado, fiz 1ª comunhão e crisma. Tive um rolo com um amigo dentro da igreja, mas foi tudo abafado pra não gerar polêmicas.

Fui agente de pastoral, coordenador de grupo e de pastoral e hoje coordeno um grupo de música. Muita gente sabe de mim (tenho certeza), mas ignoram o fato ou simplesmente não ligam.

Contudo, dentro da própria igreja conheci pessoas que não tem essas loucuras doutrinárias e que mostram todo momento o que é ensinado e dito na catequese (ahh, fui catequista também, tanto regular como no crisma), DEUS é pai de todos e não faz assepsia dos seus.

Sei que isso não mudará, afinal, a Igreja é a Igreja sempre, com todos os seus fanáticos religiosos que a dirigem e usam da falsa moral para em nome de Deus perseguir aos outros por onde quer que andem.

Contudo, acredito naquilo que S.João disse em sua carta: 1Jo 4, 8. "Quem não ama não conhece a Deus; pois Deus é amor." Estamos vivendo uma revolução intelectual em nossos jovens, nossa sociedade está modificando-se, criando independência quanto às opiniões e gerando uma nova maneira de ver o mundo. Que isso nos leva à um mundo tolerante e que todos sejam iguais para todos. E que as doces palavras da bíblia, que nos dizem que todos somos iguais e amados, sejam de fato a mais pura expressão da verdade.

Um beijo carinhoso do Stro.

Postar um comentário