quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Dia da Celebração Bissexual

"Eu gosto de homens e de mulheres e você o que prefere?"
(Ana Carolina)

Hoje (23 de setembro) é o Dia da Celebração Bissexual. Este dia é uma chamada às pessoas bissexuais e suas famílias, amigos e simpatizantes para reconhecer e celebrar a bissexualidade, a história bissexual, a Comunidade Bissexual, a cultura e a pessoa bissexual em suas vidas.

A bissexualidade consiste na atração física, emocional e espiritual por pessoas tanto do mesmo sexo quanto do oposto, com níveis variantes de interesse por cada um, e à identidade correspondente a esta orientação sexual. Bissexual é, portanto o termo aplicado a seres e, mais comumente, pessoas, que se sentem atraídos por ambos os sexos, servindo, portanto de um “quase meio-termo” entre o hétero e o homossexual.

O número de indivíduos que apresentam comportamentos e interesses bissexuais é maior do que se suporia à primeira impressão, devendo-se a pouca discussão desta situação essencialmente a uma tendência geral para a polarização da análise da sexualidade, tanto em nível acadêmico como, muito mais marcadamente, em nível popular, entre a heterossexualidade e a homossexualidade.


O conceito da comunidade bissexual é muito complexo e controverso, pois os bissexuais estão na situação peculiar de receber o ódio, a desconfiança, ou a negação, chamada ‘bifobia’, de elementos tanto das populações heterossexuais como de homossexuais. Há naturalmente algum elemento da sensação geral de anti-LGBT, mas algumas pessoas insistem que a pessoa bissexual é insegura das suas sensações verdadeiras, que eles estão experimentando ou atravessando "uma fase", e que eles conseqüentemente fazem ou dever "decidir" ou "descobrir" a que gênero (singular) eles são sexualmente atraídos.

A comemoração foi instituída em 1999, por três ativistas dos direitos bissexuais dos Estados Unidos - Wendy Curry (Maine), Michael Page (Flórida), e Gigi Raven Wilbur (Texas). Wilbur disse na ocasião que “depois da Rebelião de Stonewall, a comunidade gay e lésbica cresceu em força e visibilidade. A comunidade bissexual também cresceu na força, mas de muitos modos somos ainda invisíveis. Também fui condicionado pela sociedade para taxar automaticamente um casal que anda de mãos dadas como hétero ou gay, dependendo do gênero percebido de cada pessoa.”

Esta celebração de bissexualidade especialmente, ao contrário dos eventos LGBT gerais, foi concebida como uma resposta ao preconceito e a marginalização das pessoas bissexuais por alguns tanto nas comunidades hétero e grandes comunidades LGBT.

No seu primeiro ano, uma observância foi mantida durante a Associação Internacional de Gays e Lésbicas, que ocorreu durante a semana do dia 23. Enquanto no início o feriado só passou em áreas com uma presença bissexual extremamente forte, ele agora presencia eventos como discussões, festas de jantar e danças em Toronto (Canadá) e um grande baile de máscaras em Queensland (Austrália).

Na Universidade A&M do Texas, a semana apresentou painéis de discussão e sessões de pergunta-e-resposta. A Universidade de Princeton celebra este dia cada ano fazendo uma festa no seu Centro LGBT. O destaque da festa são biscoitos de açúcar deliciosos em forma da imagem da bandeira do Orgulho Bissexual. Também tem sido celebrado na Alemanha, Japão, Nova Zelândia, Suécia e Reino Unido.

No Brasil, para lembrar a data, o site Bi-Sides promove, no dia 26, um piquenique no Parque do Ibirapuera, que será gratuito e aberto a todos.

Você sabia que há uma bandeira exclusiva do movimento bissexual? Pois é. A bandeira do orgulho bissexual foi desenhada por Michael Page em 1998 para dar à comunidade bissexual o seu próprio símbolo comparável com a bandeira do orgulho gay da maior comunidade LGBT. O seu objetivo era aumentar a visibilidade dos bissexuais, tanto entre a sociedade no conjunto como dentro da comunidade LGBT.

6 comentários:

Lilah disse...

O bipreconceito é muito forte ainda, há quem defenda inclusive que não existe bissexualidade. Muito bom abordar o tema para que as pessoas possam visualisar a verdade.

Tuka disse...

Eu não sabia que existe a bandeira exclusiva do movimento bisexual.
Com certeza, esse é um tema, que devemos abordar sempre, para tentar mudar uma sociedade preconceituosa, machista e homofóbica.
Parabéns pelo post.
Bjs.

Bia disse...

Acho que, todos nós, por definição, somos bissexuais, cada um ao seu modo! Achei super interessante o movimento com data comemorativa e tudo! Tem que realmente ser divulgado!
Bjs

Jock Dean disse...

Lilah, Mara e Bia, percebo que quase nada se fala sobre a Bissexualidade. Pretendo aprofundar mais o tema em posts futuros. Eu mesmo não conhecia o termo 'bifobia'.

pitchdark disse...

EU SOU BISSEXUAL E DIGO COM TODA CERTEZA!! NÃO TENHO PROBLEMAS E FALAR KE SOU LÉSBICA SE FOSSE, MAS SINCERAMENTE NAO SOU! ATE KERIA SER, POIS VALORIZO MUITO A CLASSE, MAS NÃO POSSO OCULTAR OS MEUS DESEJOS!!!AXO QUE UM GAY OU UM HERETO NÃO TEM O DIREITO DE VIM AKE E FALAR QUE NÃO EXISTE BISSEXUALIDADE, SO KEM É ENTENDE!!! DA MESMA FORMA KE UM HETERO E UM GAY SE ENTENDE COMO TAL...ENFIM, SO AXO QUE QUANDO SE AMA UMA PESSOA, O KE IMPORTA E SEU INTERIOR E NÃO SUA COR, SUA CONTA BANCARIA, SUA ALTURA, OU SEU GÊNERO...AMAR VAI ALEM DISSO...NEGAR A BISSEXUALIDADE E SER PRECONCEITUOSO COM A NATUREZA..PRA MIM É O SENTIMENTO MAIS VERDADEIRO, SIMPLESMENTE, AMAR SEM FRONTEIRAS..

lila disse...

Ja ouvi coisas de caras gays tipo: eu acho que vc esta confusa, acho que um dia vai descobrir que hetero...mas e dificil uma confusão durar a vida inteira - preconceito tem em todo lugar.

Postar um comentário