terça-feira, 14 de setembro de 2010

Entre mágoas e ingratidões, eu

Arriscar ser derrotado por mentiras que vão, mentiras que vem punir.
Um coração cansado de sofrer... acho que vou desistir!
(Marina Lima)


Ingratidão. A palavra que mais ouvi nos últimos tempos. Mágoa. Outra palavra que ouvi inúmeras vezes nos últimos meses. Esta seria a conseqüência daquela. Eu seria o causador de ambas. Eu!

Eu que tantas vezes fui acusado de coisas que não fiz. Eu que nunca revidei nem à pior das ofensas. Eu que chorei calado no escuro do meu quarto noites a fio após homéricas discussões. Eu que fui condenado sem direito a defesa. Eu que sofri o terror de ameaças de humilhações públicas. Eu que hesitei tantas vezes tantas coisas só para não ofender.

Eu que não tenho mais a quem pedir, chorar, o que dizer. Eu que todos os dias tenho que suportar a lâmina do olhar inquisidor e reprovativo sobre mim. Eu que não consigo mais suportar a tensão diária de saber que a qualquer momento posso ser expulso. Eu que não sei mais por que resistir.

Eu que sou mais uma vez alçado da categoria de vítima a algoz pelo simples fato de eu não sei mais por quê. Eu que passei mais uma noite entre meus lençóis ardendo em febre e sem causas físicas para isso. Eu que sinto uma grande dor física, sim, física, embora não me tenham tocado o corpo. Eu que sinto minadas todas as minhas alegrias.

Eu que não tenho sequer o direito de gritar essa droga de descontentamento, pois não tenho um local seguro para fazê-lo. Eu que tenho tido minha fé no mundo testada ao extremo todos os dias. Eu que me forço a acreditar em algo qualquer de verdadeiro e bom para conseguir continuar respirando. Eu que já quis esvaziar de ar os meus pulmões e não sentir mais.

Uma cadeira ainda é uma cadeira mesmo quando não há ninguém sentado lá, mas uma cadeira não é uma casa e uma casa não é um lar quando não há ninguém lá para te abraçar e ninguém lá para você dar um beijo de boa noite. Eu que tenho uma casa, mas não um lar.

Eu que sinto que vou desistir. Eu que tenho uma grande revolta dentro de mim. Eu que sou um herói vencido. Eu que quero destruir as flores pelo jardim. Eu...

O que eu fiz para merecer todos esses ataques? Ser eu mesmo é digno de tanta fúria assim? Não suporto mais o peso desse fardo que me impõem. Não tenho culpa por nada do que me apontam. É cruel e desumano me tratarem assim.

14 comentários:

y disse...

O melhor a fazer é ficar em silêncio. Enquanto tentarem te expulsar só com palavras, deixa pra lá, nem liga, seja cara de pau (pariu porque quis). Um dia tu vais te livrar disso de qualquer jeito. É questão de tempo (e isso de sair de casa acontece com qualquer pessoa na tua idade, independente de qualquer outra coisa) e problema de quem tiver de tolerar.

Tuka. disse...

Muitas vezes me sinto assim.
Me vi nesse texto Jock, parece que foi escrito pra mim.
Adorei.
Queria falar a diferença de uma casa e de um lar.
Uma casa é construida com tijolos e cimento, um lar é construido com amor e respeito.
Lindo post, parabéns.
Bjs.
Tuka.

Viviane Junqueira Ayres disse...

Jock....
Vale a pena respirar porque você tem amigos...

Os amigos são escolhidos pela alma...enquanto as relações entre pais e filhos normalmente são por resgate...

Lembre-se nossa vida sempre terá um propósito...vc veio nesta família para um.

Mesmo que agora pareça que tudo vai desmoronar e que não tens sequer direito a ser você mesmo, sem querer ser piegas...lembre-se que O Universo é perfeito e mesmo as mais duras provações nos fortalecem...

seja como o bambu...se te forçarem para o lado vc chega até quase o chão...mas volta com a mesma essencia porque não quebra!


e lembre-se seus amigos que são irmaos de alma.. estão aqui para lhe dar apoio e todos os abraços possiveis.. mesmo que virtuais

Beijos
VIvi

Lilah disse...

Vc não merece nada disso.
Vc tem o coração mais lindo do mundo, meu pequeno. Vc é tão doce, tão cheio de afeto. E vc sabe que eu não tenho respostas nem soluções, o que eu tenho e é seu sempre, é colo.
A hora que quiser e precisar, meu ombros estão aqui, meu coração é todo seu. E respire pequeno, por mais que doa, não pare de respirar...eu sou egoista, não quero um mundo sem vc nele. Te amo

diariodoandre disse...

Jock,infelizmente a vida é muito trabalhosa e há maldade. Não quero motivar, nem julgar-te. Mas é importante ver as coisas como a Sue Silvester, não? Não se trata de força. Mas de conformação, ao menos eu acho. A vida é problema, é dificuldade e será assim sempre. Infelizmente, não há como mudar. Isso. A variante entre o peso e a leveza está no corpo, mas está tudo nos olhos. É claro que atitude não muda as coisas de uma hora para outra, principalmente os sentidos (esse que te faz sentir febre e dor). Sei, Jock, que ver o mundo, no mundo, é o melhor que se faz. Se o corpo dói, meu caro amigo, é preciso estar além do corpo. Se casa não há, chão não falta, não é? Filosofia de araque? Que seja! Insensibilidade? Que seja! Então, faça cara de paisagem, vire autista, esteja além do corpo, viva na mente, nas palavras e nada poderão roubar-te, nunca poderão ofender-te e muito menos machucá-lo. Abraços.

Fernanda Reali disse...

Oi, querido! Planeja sair de onde tu estás e sai. Vai adiante, nada de ficar esperando para o sofrimento do dia. ESCOLHA ser feliz, deixando essa vida de desafeto para trás.

O que precisas? um emprego? bora mandar currículos, buscar um estágio, pedir oportunidades. Pedir não é feio e ouvir NÃO nçao mata.

Vai pedindo aos amigos um pouso, vai andando. É melhor uma vida itinerante a uma prisão.

beijosss

Telma Maciel disse...

Que post mais doído... tô emocionada e te entendo. Não entendo é o preconceito falar mais alto.
Chega um tempo que a gente quer mesmo é caçar o cantinho da gente. Tô contigo! Acho q, se é isso o que precisa ser feito, é pra ficar melhor.
Seja feliz, vá buscando a sua felicidade e um dia vc vai encontrá-la!
Desejo msm que fique tudo bem!
Beijo dessa nova admiradora!

Andre V. disse...

Eu não sei o que dizer. Há o que dizer ? Estoy contigo. (L)

Bia disse...

Oi Jock.

Vim até seu blog, ler suas idéias, através da Fernanda Reali e te confesso...me emocionei! Lendo seu texto (e suponho, seu desabafo), ouso questionar o Universo o porque pessoas sensíveis, inteligentes e de coração enorme são as que mais passam pelo sofrimento. Talvez a resposta esteja exatamente no meu questionamento: pessoas como você são fortes e, portanto, elaboram melhor as mágoas da vida, seguem em frente, não esmorecem!
Bjs querido e força sempre!
Sou Bia Toporcov do blog http://biablabalzac.blogspot.com e twitter @btoporcov caso queira me seguir.

Anônimo disse...

Menino, eu não posso curar a sua ferida, mas posso assoprá-la para tentar aliviar a sua dor!
Eu não posso estar aí com você, mas te entendo bem mais do que você pode imaginar!
Lar? Eu criei o meu, que todos chamam de doido, mas eu e meu marido amamos cada loucura que existe nele! Sabe por que? Porque, como você eu tive uma casa, mas nunca me deram um lar de verdade! Me cobravam amor e compreensão, mas nunca me deram amor paternal e materno!
Então, menino querido, um dia desses vão acordar e ver o quanto o Jock cresceu. Cresceu tanto, mas tanto que eles não podem mais agarrar nem pelos pés. Porque nosso Jock pertence a um plano bem mais superior a tudo mesquinho que existe neste mundo!
Foi o que aconteceu comigo e tenho absoluta certeza que acontecerá com você!!!

Meu beijo, meu carinho e meu ombro se você quiser!!!

Beijo grande!!!

Lucimara disse...

Olá..conheci teu blog hoje..Sou a Mara do Echollandia, ainda nao conversamos pq ando batendo em retirada do echo muito cedo.
Entrei no teu blog pra te conhecer melhor, só posso te dizer que teu post me tocou imensamente, vontade de chorar..sei do que vc está falando, sei como se sente...conheço todas as dores que vc descreveu ali..ainda nao descobri um remedio para estes dores..mas dizem que passa e é essa esperança que me faz ir adiante. Tenha força, equilibrio e serenidade é só isso que posso te aconselhar, pois é isso que tenho feito para conseguir ir adiante de cabeça erguida.
Beijos
@Mara_penelope

Stro - Strovenga disse...

Amor, me identifiquei muito com seu texto.

Tudo que você derramou nessas linhas me fizeram pensar e muito sobre o que ocorre comigo. São tantas coisas... Há horas quem quero ficar só e esquecer de tudo e outras em que quero gritar pro mundo inteiro se danar.

ai ai muito bom o que escreveu.
@strovenga

Beijo, te amadoro muitão.

Lucas Bianchi disse...

Só passando pra te lembrar q agora você é um Bianchi honorário como diz a Mã.
Se eu fosse você, eu não contrariava ela. A gente ainda não descobriu o que acontece quando a gente diz não pra ela, porque a gente não diz não, sacou? É mais seguro.
Bjim manow

Jock Dean disse...

Obrigado a todos que leram e comentaram. Desde essa postagem, há uma semana, que eu não passava por aqui. A cabeça tava virada. Os pensamentos bagunçados. Agora é que tudo voltou a fluir. O sangue voltou a correr e eu até já postei novamente.

Sobre os comentários:

Y e diariodoandre – Silêncio? Conformismo? Não é assim que acho que resolverei este problema. Algumas situações exigem enfrentamento de frente, sem medo e é isso que farei. Calar só vai piorar a situação, seria o mesmo que empurrar a sujeira para debaixo do tapete, mas compreendo o ponto de vista de ambos.

Lilah e Lucas – Minha nova família querida. Incrível como certas relações nascem logo no primeiro contato. Assim que li o primeiro comentário da Lilah no blog quis conhecê-la e ao Lucas com quem tenho tido excelentes papos de menino até altas madrugas na net. E a Lilah é a companheira de blog, amiga e mãe quando me falta uma. Nossos papos tem sido um constante aprendizado.
Em alguns momentos, tudo o queremos é saber que alguém se solidariza com nosso sofrimento e quer fazer o possível para aplacá-la. Naquela semana, quando me faltava o ar, os SMSs, ligações – algumas feita a pedidos pelos amigos – foram meu sopro de vida. Obrigado meus anjos.

AndreV_ - O meu Gil... que me ligou no meio da madrugada só para garantir e velar meu sono. Não tenho como expressar em palavras a importância do gesto. Basta dizer que te quero muito?

Tuka, Vivi, Fernanda, Telma, Bia, Waskel, Lucimara – A melhor coisa que me aconteceu desde a criação do blog foram as pessoas que conheci e que tem um carinho enorme por mim e a recíproca é mais que verdadeira. Afinal, os amigos não sãos a família que escolhemos? Os e-mails, as DMs, os tweets, o chamado no MSN, as ligações e SMSs. Tudo isso denunciam esse carinho. Obrigado, meus novos amores.

Stro – Meu amor pervo. Sabe que mora no meu coração, né? Sei que tenho você quando preciso.

Postar um comentário