segunda-feira, 27 de setembro de 2010

LGBT News

Bahia é o Estado onde mais se mata gays no Brasil, diz ONG



Um estudo apresentado pelo Grupo Gay da Bahia (GGB) mostra que este Estado registra o maior número de casos de assassinatos de homossexuais no Brasil. Somente em 2009, 25 foram mortos. Até agosto deste ano, outros 14 gays foram assassinados.



A pesquisa aponta também que o Brasil é o líder mundial no ranking de crimes contra homossexuais. Somente em 2009, haviam sido registrados 199 homicídios. Até agosto deste ano, foram 138 mortes.



Para o coordenador do GGB, Marcelo Cerqueira, a dificuldade em solucionar os crimes contra gays está ligada à clandestinidade. Como muitos temem se expor, acabam se cercando de segredos que dificultam qualquer tipo de investigação policial.



O delegado-geral da polícia baiana, Joselito Bispo, diz que a polícia tenta estabelecer uma lista de suspeitos, mas isso pode ser dificultado geralmente pelo número de pessoas com que as vítimas costumam se relacionar. Bispo considera que, diante de muitas mudanças de parceiros das vítimas, as pessoas deixam de notar quando alguém diferente chega em suas residências.



Justiça autoriza visita íntima para preso homossexual em SP



A Justiça de Taubaté, a 134 quilômetros de São Paulo, autorizou um preso homossexual a receber a visita íntima do companheiro no Centro de Progressão Provisória da cidade. No estado, a visita íntima homossexual não é permitida, segundo norma da Secretaria da Administração Penitenciária. Mas a juíza Sueli Zeraik de Oliveira Armani, da Vara das Execuções Criminais de Taubaté, entendeu que negar o pedido seria ferir o princípio constitucional da igualdade.



Para a juíza, o companheiro do preso é equiparado à condição de cônjuge. Por isso, ela decidiu autorizar a visita tomando como exemplo mulheres que comprovam concubinato com os detentos e fazem visitas íntimas.



A juíza de Taubaté cita outras decisões que tratam sobre os direitos de presos e casais homossexuais no Brasil e a legalização do casamento em outros países.



Na Assembléia Legislativa de São Paulo há um projeto de lei sobre o assunto.


Um a cada cinco homens gays nos EUA é portador do HIV



Um a cada cinco homens homossexuais nas principais cidades dos Estados Unidos é portador do vírus da Aids, e quase a metade ignora ser soropositivo, revela um estudo publicado na sexta-feira (24). O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) informa que de 2005 a 2008 a taxa de contágio por HIV entre os homens gays cresceu 17%.



No total, 19% dos "homens que fazem sexo com outros homens" são soropositivos e 44% não sabem que têm o vírus da Aids, assinala o CDC, baseado em um estudo que analisou mais de 8 mil homossexuais.



"A mensagem deste estudo é clara: o HIV registra números devastadores entre homens que mantêm sexo com outros homens nas principais cidades dos Estados Unidos", disse Kevin Fenton, diretor do Centro Nacional de HIV/Aids do CDC.


Cerca de 1,2 milhão de pessoas lotaram as ruas de Madureira para prestigiar 10ª Parada LGBT no bairro carioca, realizada pelo Movimento de Gays, Travestis e Transformistas (MGTT). A chuva e frio que castigaram a capital fluminense, neste domingo, não espantaram e nem desanimaram o público.



A presidente do movimento, Loren Alexsandre, explicou que foram distribuídos 200 mil preservativos e frascos de gel lubrificantes. Ela ressaltou que a distribuição faz parte de um trabalho de conscientização e prevenção.


Ordenação de bispos gays anglicanos apenas com o celibato

O arcebispo de Cantuária disse ontem que não se opõe a que homossexuais sejam nomeados bispos da Igreja de Inglaterra, desde que se mantenham celibatários - uma afirmação que ameaça dividir ainda mais a comunhão anglicana sobre a ordenação de gays.



Na entrevista, onde abordou mais explicitamente do que nunca o tema, o arcebispo admitiu que um dos períodos mais difíceis do seu mandato ocorreu em 2003 quando, após intensa polêmica, bloqueou a nomeação de Jeffrey John, um reverendo que mantinha uma relação homossexual.



Williams admitiu que as divergências sobre o tema têm sido "uma ferida" no seu mandato, mas explicou que se sentiu sempre obrigado a alinhar com o setor mais conservador porque a aceitação incondicional da ordenação de homossexuais "tem ainda um custo demasiado grande para o conjunto da Igreja anglicana".



As declarações do arcebispo foram de imediato condenadas pelos defensores dos direitos dos homossexuais, que o acusam de discriminação, por exigir aos gays o celibato que não é obrigatório para os heterossexuais. "Para ele, a unidade da Igreja é mais importante do que o respeito pelos direitos humanos de gays e lésbicas." Mas a entrevista promete também indignar os mais conservadores, que acusam Williams de ignorar a doutrina da Igreja ao aceitar a ordenação de homossexuais.



Filme brasileiro sobre homossexualidade lota festival gay em Portugal



A exibição do longa brasileiro "Do Começo Ao Fim", do diretor Aluízio Abranches, lotou a sessão de abertura do Festival de Cinema Homossexual de Lisboa. O filme causou polêmica onde foi exibido, devido a história central ser sobre um relacionamento entre dois meio-irmãos.



A 14ª edição do Festival de Cinema Gay de Lisboa, que acontece até o final desta semana, está sendo bem aceito pelo público português. O "Queer Lisboa", que projeta um total de 118 filmes, entre eles vários procedentes da Espanha, Brasil e Argentina, atraiu mais espectadores que nas últimas edições.



Brasil teve no sábado 24 horas de combate à homofobia



No sábado (25) um grupo de defensores dos direitos humanos realizou suas “24 Horas de Combate à Homofobia”, iniciativa com um nome que já diz tudo e que teve programação em todo o Brasil. A ideia de lançar a campanha surgiu depois do recente assassinato do adolescente Alexandre Ivo e da aprovação do casamento entre pessoas do mesmo sexo na Argentina.



O movimento virtual é de conscientização política, pretendendo chamar a atenção da sociedade para esse problema com uma programação de 24 horas que incluiu shows musicais, esquetes teatrais, exposições, debates e festa – claro. Qualquer pessoa pode participar, fazendo o que achar que pode fazer. No site da iniciativa existem várias dicas.



Uma ideia parecida é realizada na França pela Idaho – International Day Against Homofobia - que também acredita em uma incidência mais pontual, feita em apenas um dia. O site da iniciativa brasileira é o www.24horasdecombateahomofobia.com.br.

3 comentários:

Lilah disse...

Não lembro se conversamos sobre isso, mas eu sou Anglicana. Acredito que o racha na Igreja será inevitável nos próximos anos. A ala mais conservadora tem se mostrado mais difícil de negociar a cada dia. A Igreja Aglicana no Brasil enfrenta ainda outra questão, por não poder se opor a lei brasileira, gays que são aceitos como fiéis a algum tempo pela maioria das paróquias, não podem se casar e por tanto em convivência marital, estariam em pecado...complicado né?
Sobre a questão da AIDS esse é um tema que podíamos abordar num post ão?
Beijos

Bia disse...

Muito interessante amigo!

Achei bárbaro essa autorização para visita íntima nas prisões, mas, pra falar a verdade, em presos condenados acho errado a mesma até em heterossexuais porque já existem muitos casos de tráfico de drogas, armas e informações, via visita íntima né?

Bjs

Jock Dean disse...

Lilah, acredito que a tendência das grandes religiões - algumas em maior, outras em menor grau - é haver esse tipo de divisão. As pessoas tem-se mostrado mais abertas e as religiões correm o risco de perderem seguidores se não acompanharem os novos tempos. Claro que isso é um movimento extremamente lento, mas é o caminho natural.

Bia, como eu costumo dizer, não basta criar uma lei que garanta isso ou aquilo. É preciso, sobretudo, preparar as pessoas para lidar com essas 'novidades'.

Postar um comentário